GMP+B2 e GMP+B3

 

GMP

A BSBIOS está certificada pela GMP+B2 e GMP+B3, o que atesta o atendimento dos requisitos internacionais relacionados à Segurança Alimentar na sua cadeia de produção e comercialização. O farelo, a Casca de soja e o Óleo degomado produzidos pela BSBIOS estão de acordo com os critérios de Boas Práticas de Fabricação, estando em consonância com os níveis toleráveis da matéria-prima empregada, estabelecidos pela legislação específica, no que tange a resíduos de pesticidas, contaminantes inorgânicos e microbiológicos.

Anualmente, é realizada pelo Organismo de Certificação uma auditoria de manutenção, e a cada três anos, uma auditoria de Renovação do Certificado. A Certificação da BSBIOS foi renovada em 1º de junho de 2020 e é válida até 31 de maio de 2023.

 

 

NBR ISO/IEC 17025

 

Marialva

 

Passo Fundo

  

A Coordenação Geral de Acreditação do Inmetro atestou a competência técnica dos laboratórios das Usinas de Biodiesel da BSBIOS de Passo Fundo (RS) e de Marialva (PR) acreditando-os na NBR ISO 17025, norma que padroniza internacionalmente as atividades dos laboratórios de ensaio e calibração. A acreditação assegura a confiabilidade dos resultados das análises realizadas para certificação do biodiesel produzido nas unidades.

- Laboratório BSBIOS, unidade de Marialva/PR, acreditado pela Coordenação Geral de Acreditação do Inmetro para Ensaios  NBR ISO/IEC 17025, sob número CRL 0744.

- Laboratório BSBIOS, unidade de Passo Fundo/RS, acreditado pela Coordenação Geral de Acreditação do Inmetro para Ensaios NBR ISO/IEC 17025, sob número CRL 0745.

 *Consultar o escopo de serviços dos laboratórios clicando no símbolo correspondente ou através do no endereço: HTTP://www.inmetro.gov.br/laboratorios/rble.

 

 

Renovabio

 

Renovabio selo A BSBIOS foi uma das primeiras usinas de biodiesel a se certificar pela Política Nacional de Biocombustíveis (Renovabio), em 14 de novembro de 2019. Com isso, está habilitada a participar do mercado de CBios (Créditos de Descarbonização), com a produção de biodiesel a partir de gorduras animais.

O principal instrumento do Renovabio é o estabelecimento de metas nacionais anuais de descarbonização para o setor de combustíveis, de forma a incentivar o aumento da produção e da participação de biocombustíveis na matriz energética de transportes do país.

As metas nacionais estabelecidas para as distribuidoras de combustíveis são anualmente desdobradas em metas individuais compulsórias, conforme suas participações no mercado de combustíveis fósseis, nos termos da Resolução ANP nº 791/2019, de 12 de junho de 2019.  

 

ISCC – International Sustainability and Carbon Certification

 

 A BSBIOS recebeu a certificação ISCC– International Sustainability and Carbon Certification EU (Certificação Internacional em Sustentabilidade e Carbono), em 18 de agosto de 2020, para as duas unidades industriais, Passo Fundo/RS e Marialva/PR, para a produção de biodiesel a partir de gorduras animais.

Com o certificado ISCC EU, a BSBIOS participa da cadeia de suprimentos certificado pela RED para o mercado de biocombustíveis sustentáveis da Europa. O certificado ISCC EU comprova a conformidade com os requisitos de produção de biomassa sustentável, rastreabilidade da origem e documentação do potencial da redução da emissão de gases de efeito estufa em comparação com os combustíveis fósseis.

A certificação atestou que o Biodiesel produzido pela BSBIOS, desde a produção da matéria-prima sustentável (gorduras animais) até a sua industrialização, reduz de 86 à 90% a emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE), se comparado ao diesel fóssil, colaborando para a redução de emissões de CO2 na atmosfera. A certificação é anual e conta com parceiros da cadeia de gorduras animais, como frigoríficos que participam dessa certificação.

 

 

Selo APROBIO de Qualidade - Biodiesel Super A

 

O Selo APROBIO de Qualidade – SAQ – é um programa de auditoria voluntário das usinas associadas da APROBIO. A usina que possui o SAQ demonstrou a capacidade de produzir biodiesel segundo padrões de qualidade que superam a especificação brasileira e também utilizar-se das boas práticas para o embarque do produto. O uso das boas práticas e o atendimento à especificação são avaliados periodicamente através de auditorias realizadas por instituição independente