BSBIOS prepara a infraestrutura em nova área para iniciar a construção da biorrefinaria Omega Green no Paraguai

Compartilhar:

O projeto foi declarado de “Interesse Institucional do País” conforme informado pelo Ministro da Indústria e Comércio, Luis Alberto Castiglioni, a Erasmo Carlos Battistella, CEO do ECB Group, durante a reunião com o Presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez

 

A BSBIOS Paraguai, empresa do ECB Group, começou neste mês de novembro de 2021 as obras de infraestrutura para estabelecimento de vias internas e de acesso, assim como todo o cercamento da área que abrigará o projeto Ômega Green, mega complexo com investimento estimado em US$ 1 bilhão, que envolve a primeira planta de biocombustíveis avançados (HVO e SPK) de segunda geração do Hemisfério Sul.

 

Uma base também está em construção para a instalação da oficina e dos depósitos da empresa responsável pela preparação do terreno para o início da construção. A operação da biorrefinaria está previsto para 2025.

 

A atualização do projeto foi informada diretamente ao presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, em encontro realizado nesta segunda-feira (15/11). Na oportunidade, o ministro de Indústria e Comércio, Luis Alberto Castiglioni, entregou a Erasmo Carlos Battistella, CEO do ECB Group, a Resolução nº 723 que declara “de Interesse Institucional o Projeto de Investimento Omega Green”.

 

“A declaração de apoio institucional do Estado Paraguaio ao projeto reafirma nossa parceria com o país e define o Omega Green como de interesse nacional, fortalecendo sua imagem frente às agências de investimentos internacionais”, celebra Battistella. Segundo ele, “essa distinção reflete a importância de uma iniciativa que gera empregos e PIB verdes”.

 

O documento do Governo do Paraguai estabelece que o projeto “representará um alto impacto na economia nacional e local, por se tratar de um empreendimento que tem como objetivo o desenvolvimento sócio-econômico da região, a geração de empregos diretos e indiretos desde a construção até o pleno funcionamento do projeto, por possibilitar o encadeamento produtivo entre setores agrícolas industriais e de serviços e promover o aproveitamento dos recursos energéticos e naturais do nosso país para gerar produtos de exportação com alto valor agregado e de tecnologia avançada”.

 

Estiveram presentes também no encontro o Ministro assessor de Assuntos Estratégicos de Presidência, Federico González, o Presidente da Itaipu Paraguai, Manuel Maria Caceres, a Conselheira da Itaipu, Sra. Liz Cramer, e o Superintendente de Relações Institucionais do ECB Group, Ricardo Feistauer.

 

Novo terreno é sete vezes maior que o anterior

 

As obras iniciais do projeto Omega Green começaram em um novo terreno de 484 hectares adquirido pela empresa em Villeta, a 45 quilômetros de Assunção, capital do Paraguai. A área fica a 5 quilômetros da anterior, que tinha 70 hectares, com a vantagem de fazer uma fronteira de 220 metros, por um lado, com a rodovia (Rutta Villeta-Alberdi), e por outro, com uma faixa maior de margem do rio Paraguai. Outra vantagem é estar localizado a cerca de 100 metros de uma subestação de energia (Subestación Buey Rodeo).

 

“O terreno nos traz a oportunidade de abrigar ampliações futuras, com espaço mais amplo para o desenvolvimento do porto, além de permitir receber parceiros estratégicos que possam investir em atividades afins”, explica Battistella. Segundo ele, a proximidade com a rodovia asfaltada e com a subestação de energia também reduz custos operacionais para o projeto. O terreno contará com 100 hectares de Área de Permanente de Preservação (APP), mantendo a identidade do bioma atual.

 

Com a posse definitiva do terreno, a mudança da área foi aprovada no regime de Zona Franca definido pelo Governo do Paraguai em 15 de setembro de 2020 para o projeto Ômega Green, o que garante a manutenção das condições legais do projeto por um prazo de 30 anos, renováveis por mais 30, reforçando a segurança econômica para o investimento.

 

Lançado em fevereiro de 2019, o projeto Ômega Green é o maior investimento privado da história do Paraguai e contempla a construção da primeira planta de biocombustíveis avançados do Hemisfério Sul. Nele, serão produzidos diesel renovável ou HVO, sigla em inglês para óleo vegetal hidrotratado, e querosene de aviação renovável ou SPK, combustíveis que emitem menos gases de efeito estufa e que serão destinados à exportação para os Estados Unidos, Canadá e membros da União Europeia.

Todo o processo de documentação do projeto já está concluído, com a matrícula da área definida, o que garantiu o cumprimento do cronograma do início das obras de construção do projeto neste mês de novembro deste ano.

 

Sobre o ECB Group

O ECB Group anunciou o mapa que seguirá para atingir seus objetivos nos próximos 10 anos. Com foco de atuação nas áreas do Agronegócio e de Energia Renovável, o planejamento estratégico estabelece que o grupo vai investir e gerar valor em negócios sustentáveis, com destaque para investimentos em biocombustíveis avançados, com o objetivo de ser o maior produtor de biocombustíveis avançados da América Latina até 2025. Outra parte importante do planejamento é fomentar negócios que posicionem a organização entre as três maiores produtoras de biocombustíveis do mundo, além de se tornar Carbono Neutro até 2030.

 

Sobre o Omega Green

O projeto de uma biorrefinaria de biocombustíveis avançados no Paraguai tem início de operação previsto para 2025. Será a primeira desse tipo no hemisfério sul para produção do diesel renovável HVO (Hydrotreated Vegetable Oil), o combustível renovável para aviação (Synthetic Paraffinic Kerosene – SPK), também conhecido como Sustainable Aviation Fuel (SAF) e o Green Naphtha (usado na indústria química para fazer plástico verde, entre outros produtos).