Imprensavoltar

Notícias

28/02/2018
Biodiesel
Aprobio homenageia ministro de Minas e Energia por B10 e RenovaBio

defensor do combustivel verde_005   Além do Ministro Fernando Coelho Filho também foram homenageados o Senador Cidinho Santos e o Deputado Federal Evandro Gussi

 

A Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil (Aprobio) entregou ontem (27/3) a Chancela “Defensor do Combustível Verde” ao ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho. A homenagem é entregue às pessoas que trabalham pelo reconhecimento dos benefícios dos biocombustíveis para as áreas de Economia, Meio Ambiente e Saúde no País.

A Chancela “Defensor do Combustível Verde” (o biodiesel) é uma homenagem da Aprobio aos esforços de representantes do Executivo e do Legislativo, reconhecendo o trabalho desenvolvido por essas autoridades em torno da aprovação da antecipação do uso do B10, que inicia no dia 1º de março desse ano, e do RenovaBio, programa que traça diretrizes conjuntas para o reconhecimento do papel estratégico de todos os tipos de biocombustíveis na matriz energética nacional, tanto para a segurança energética quanto para a redução de emissões de gases causadores do efeito estufa.

Além do ministro Coelho Filho, também foram homenageados os senadores Cidinho Santos (PR-MT), da Comissão de Meio Ambiente do Senado e vice-presidente da Frente Parlamentar do Biodiesel, e o deputado Evandro Gussi (PV-SP), que foi o autor do projeto do RenovaBio na Câmara dos Deputados e é presidente da Frente Parlamentar do Biodiesel. “O trabalho desenvolvido ao longo dos últimos anos pelo Legislativo e pelo Executivo, com a liderança do ministro Coelho Filho e da equipe do Ministério de Minas e Energia, foi de extrema importância para toda a sociedade brasileira e merece ser reconhecido”, explicou o presidente do Conselho da Aprobio e presidente da BSBIOS, Erasmo Carlos Battistella.

Battistella ressalta o papel desempenhado pela sociedade civil, tendo a Aprobio e outras entidades do setor à frente, que colaboraram na aprovação dos projetos do B10 e do RenovaBio. “Esses projetos atingem três áreas principais, as três muito importantes para o país. Eles irão ter impacto no campo, ampliando a produção das matérias-primas necessárias para o crescimento do ciclo do biodiesel, como soja, girassol, canola e gordura animal, gerando mais empregos e incentivando a agricultura, em especial a familiar, aumentando a qualidade de vida dessas comunidades”, destaca. “Além disso, com o aumento na mistura do diesel, vai melhorar a qualidade do ar nas grandes cidades, beneficiando os moradores e os governos locais, que vão gastar menos dinheiro em saúde”, disse Battistella.

Ainda para o presidente da Aprobio, é importante destacar que o Brasil irá gastar menos dinheiro com a importação de diesel fóssil, melhorando nossa balança comercial. “Por fim, ao ser implementado, o RenovaBio e o B10 vão contribuir para que o nosso país cumpra as metas dos acordos internacionais para a redução do efeito estufa até 2030”, conclui Battistella.

Fonte: Analítica/APROBIO

 

divulgue

Imagens

Vídeos

Áudios

Documentos